Irrigâmetro

Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento do Irrigâmetro localizada no Campus da Universidade Federal de Viçosa, em Viçosa, MG.

Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento do Irrigâmetro localizada no Campus da Universidade Federal de Viçosa, em Viçosa, MG.

O Irrigâmetro foi inventado na Universidade Federal de Viçosa (UFV), detentora do registro de patente do aparelho, visando atender às necessidades dos irrigantes no manejo de água para irrigação.

Unidade de Pesquisa do Irrigâmetro sendo instalada recentemente no Campus da Universidade Federal de Viçosa localizado em Rio Paranaíba, MG.

Unidade de Pesquisa do Irrigâmetro sendo instalada recentemente no Campus da Universidade Federal de Viçosa localizado em Rio Paranaíba, MG.

O Irrigâmetro é um aparelho preciso, de alta versatilidade que pode ser ajustado para fornecer diretamente a evapotranspiração de referência ou a evapotranspiração da cultura, em qualquer estádio de seu desenvolvimento.

A operação do Irrigâmetro é muito simples, consistindo na abertura e no fechamento de válvulas existentes no aparelho, de acordo com uma seqüência definida.

Apresentação da tecnologia do Irrigâmetro para pequenos produtores em dia de Dia de Campo no município de Coimbra, MG.

Apresentação da tecnologia do Irrigâmetro para pequenos produtores em dia de Dia de Campo no município de Coimbra, MG.

Apresentação da tecnologia do Irrigâmetro para pequenos produtores em dia de Dia de Campo no município de Canaã, MG.

Apresentação da tecnologia do Irrigâmetro para pequenos produtores em dia de Dia de Campo no município de Canaã, MG.

Pequeno produtor usando o Irrigâmetro no manejo da irrigação do feijoeiro no município de Canaã, MG.

Pequeno produtor usando o Irrigâmetro no manejo da irrigação do feijoeiro no município de Canaã, MG.

Pequena produtora do Projeto Jaíba, localizado no Norte de Minas Gerais, usando o Irrigâmetro no manejo da irrigação da cultura da Atemóia.

Pequena produtora do Projeto Jaíba, localizado no Norte de Minas Gerais, usando o Irrigâmetro no manejo da irrigação da cultura da Atemóia.

A tecnologia do Irrigâmetro é inédita porque introduz grande simplicidade no manejo da água em áreas irrigadas. Neste sentido responde a certas questões básicas a respeito do manejo da irrigação:

  • Quando irrigar?
  • Qual a quantidade de água necessária à cultura?
  • Qual o tempo de irrigação? e
  • O que fazer no caso de ocorrência de chuva?

Para que o Irrigâmetro funcione de maneira adequada, ele deve ser previamente ajustado para os tipos de solo e de cultura e para as características do equipamento de irrigação existentes na propriedade agrícola. Nesta fase há a necessidade da atuação de um agrônomo, engenheiro agrícola e ambiental, engenheiro agrícola, tecnólogo em irrigação ou de um técnico agrícola.

Técnicos avaliando um sistema de irrigação por aspersão convencional para indicação do modelo de régua temporal do Irrigâmetro.

Técnicos avaliando um sistema de irrigação por aspersão convencional para indicação do modelo de régua temporal do Irrigâmetro.

Técnicos avaliando um pivô central para indicação do modelo de régua percentual do Irrigâmetro.

Técnicos avaliando um pivô central para indicação do modelo de régua percentual do Irrigâmetro.

Retirada e preparo de amostra de solo para determinação de sua densidade, da capacidade de campo e do ponto de murcha permanente, para indicação do modelo de régua de manejo do Irrigâmetro.

Retirada e preparo de amostra de solo para determinação de sua densidade, da capacidade de campo e do ponto de murcha permanente, para indicação do modelo de régua de manejo do Irrigâmetro.

O momento de irrigar é decidido pelo operador do equipamento de irrigação que não precisa ter formação técnica especializada. Não é necessário fazer cálculos, usar gráficos ou programas computacionais.

A quantidade de água que a cultura necessita é indicada diretamente na escala existente no tubo de alimentação do Irrigâmetro.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica que está na hora de irrigar (nível da água na direção da faixa amarela) e que a necessidade de água da cultura é de 10 mm.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica que está na hora de irrigar (nível da água na direção da faixa amarela) e que a necessidade de água da cultura é de 10 mm.

Nos sistemas de irrigação por aspersão convencional, gotejamento ou microaspersão, o Irrigâmetro é equipado com a régua temporal. Uma vez verificada a necessidade de irrigar, o tempo de funcionamento do equipamento de irrigação é indicado diretamente na régua temporal do Irrigâmetro.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica, na régua temporal à esquerda, que o tempo de funcionamento do equipamento de irrigação deve ser de 3 horas.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica, na régua temporal à esquerda, que o tempo de funcionamento do equipamento de irrigação deve ser de 3 horas.

Nos sistemas de movimentação mecânica, como o pivô central e o sistema linear, o Irrigâmetro é equipado com a régua percentual, situada à esquerda do tubo de alimentação. A velocidade de deslocamento do equipamento de irrigação para aplicação da quantidade de água necessária à cultura é indicada diretamente na régua percentual do Irrigâmetro.

No caso da figura abaixo, o nível de água no tubo de alimentação indica: (1) que há necessidade de irrigar a cultura (nível da água na direção da faixa amarela); (2) que a quantidade de água necessária à cultura é de 6,5 mm; (3) que o equipamento de irrigação deve se deslocar com velocidade ajustada em 55%, para aplicação da lâmina de água necessária à cultura.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica que a velocidade de deslocamento do pivô central deve ser de 55%.

Nível de água dentro do tubo de alimentação do Irrigâmetro indica que a velocidade de deslocamento do pivô central deve ser de 55%.

O Irrigâmetro, além de quantificar a precipitação pluvial na área cultivada, permite ao operador saber facilmente se a chuva foi suficiente ou não para repor o déficit de água no solo, sem a necessidade de efetuar cálculos. Isto possibilita otimizar o uso da água da chuva e, conseqüentemente, reduzir o consumo de energia.

O Irrigâmetro apresenta as seguintes vantagens:

  • É simples, de custo relativamente barato, de fácil instalação e utilização.
  • Mede a lâmina precipitada e permite incluir facilmente a chuva no manejo da irrigação.
  • Pode fornecer o valor da evapotranspiração de referência (ETo), incluindo o coeficiente do tanque (Kt).
  • Fornece diretamente a estimativa da evapotranspiração da cultura (ETc) incluindo o coeficiente Kt, além do coeficiente da cultura (Kc) e, no caso específico de irrigação por gotejamento e microaspersão, do coeficiente de localização (KL).
  • Indica diretamente quando se deve irrigar a cultura e o tempo de funcionamento do equipamento de irrigação, ou a sua velocidade de deslocamento em termos percentuais, sem a necessidade de efetuar cálculos.

O Irrigâmetro já sendo utilizado na irrigação de diversas culturas tais como café, milho, feijão, cenoura, trigo, atemóia, limão, pupunha, alho, cebola, banana, dentre outras.

Cultura do café irrigada por gotejamento no Projeto Jaíba, MG, sendo manejada com Irrigâmetro.

Cultura do café irrigada por gotejamento no Projeto Jaíba, MG, sendo manejada com Irrigâmetro.

Cultura do milho irrigada por pivô central no Projeto Jaíba, MG, sendo manejada com Irrigâmetro.

Cultura do milho irrigada por pivô central no Projeto Jaíba, MG, sendo manejada com Irrigâmetro.

Cultura do milho que foi irrigada por pivô central no município de Piedade do Rio Grande, MG, tendo sido manejada com Irrigâmetro.

Cultura do milho que foi irrigada por pivô central no município de Piedade do Rio Grande, MG, tendo sido manejada com Irrigâmetro.

A leitura do livro “Manual do Irrigâmetro” é recomendável às pessoas que queiram ter conhecimentos sobre os componentes, a seleção, a instalação e a operação do Irrigâmetro.